BOHEMIAN RHAPSODY É BOM? | CRÍTICA

Bohemian Rhapsody chega aos cinemas para contar sobre a vida de Freddie Mercury e o seu enorme sucesso com a Banda Queen.  O filme mostra suas canções mais famosas e revolucionárias, a quase implosão quando o estilo de vida de Mercury sai do controle e o reencontro triunfal na véspera do Live Aid, onde Mercury, agora enfrentando uma doença fatal, comanda a banda em uma das maiores apresentações da história do rock. Durante esse processo, foi consolidado o legado da banda que sempre foi mais como uma família, e que continua a inspirar desajustados, sonhadores e amantes de música até os dias de hoje.

O longa (um dos mais aguardados do ano) traz uma mistura de sentimentos: paixão, alegria, tristeza e saudade. Muito se deve à atuação de Rami Malek, que interpreta de forma impecável o ícone Freddie Mercury, conseguindo convencer pela semelhança física e, principalmente, pela presença de palco com todos os trejeitos inesquecíveis do cantor. A performance do ator até parece um pouco caricata, mas estamos falando de Freddie Mercury e de toda a sua excentricidade, então pode-se dizer que houve a entrega de uma versão bem fiel do vocalista do Queen.

Será que teremos uma indicação ao Oscar de Melhor Ator?

Em suas 2 horas e 15 minutos, acompanhamos alguns fatos da vida do cantor como: O início da banda, bastidores de shows, o questionamento sobre sua sexualidade, o primeiro amor, outros relacionamentos, a vida com sua família e a descoberta da doença que o levou à morte. Porém, são temas abordados de forma superficial e o filme não consegue se aprofundar em cada um deles.

Apesar disso, o filme diverte ao mostrar a química que Freddie tinha com os integrantes da banda (que, por sinal, estão idênticos aos originais!) e o processo de criação de algumas de suas músicas mais famosas: Bohemian Rhapsody, Love Of My Life e We Will Rock You. O ponto alto da emoção fica por conta de sua apresentação no Live Aid, em que os fãs poderão reviver aquele momento como se estivessem assistindo o show ao vivo, com direito a incríveis movimentos de câmeras e uma plateia gigantesca interagindo com eles.

Além de momentos importantes da vida de Freddie Mercury, o filme Bohemian Rhapsody faz uma bela homenagem ao sucesso da banda Queen e vai contagiar os fãs ao relembrar toda a sua trajetória que marcou o mundo da música.

Não deixe de assistir no cinema e me conte aqui nos comentários o que achou!
Beijos e até a próxima.

 

 

NASCE UMA ESTRELA | MOTIVOS PARA ASSISTIR

E aí, gente! Tudo bem?
Hoje vamos falar de Nasce Uma Estrela, que acabou de chegar aos cinemas, e eu trouxe alguns motivos para você não perder esse filme incrível!

1- História Emocionante

O filme fala sobre a jovem Ally (Lady Gaga) que canta em um bar e é descoberta por Jackson Maine (Bradley Cooper), um rockstar veterano. Ele se encanta pela voz dela, os dois acabam se apaixonando e começando um relacionamento.

Jackson faz de tudo para ela brilhar, cantando no palco com ela, ajudando a torná-la uma cantora reconhecida e ela começa a ficar bem famosa. Mas ele passa por problemas com álcool e isso acaba afetando muito a vida dos dois.

2- Um Clássico

O filme “Nasce uma Estrela” é um clássico e acaba de ganhar sua 4ª versão!

: em 1937, com Janet Gaynor;

: em 1954, com Judy Garland;

: em 1976, com a dupla Barbra Streisand e Kris Kristofferson;

E na versão temos as estrelas Lady Gaga e Bradley Copper como protagonistas da história.

3– Lady Gaga

Um filme em que a música é o centro da história e Lady Gaga é a protagonista, já é um motivo para correr e assistir ne? Gaga já é uma cantora renomada, um ícone com músicas memoráveis e clipes maravilhosos, mas algumas pessoas ainda não tinham visto a mesma atuando. E ela manda muito bem!

Seu trabalho mais recente foi na série American Horror Story, onde já tinha sido muito elogiada, e até ganhou um Globo de Ouro como Melhor Atriz em Minissérie.
Mas assistir Lady Gaga no cinema, com um visual totalmente diferente e super natural, interpretando uma personagem fora dos padrões de beleza, foi bom demais!
Inclusive o assunto é abordado algumas vezes durante o filme. A personagem diz que não é aceita no meio artístico por não ser tão bonita, por ter o nariz muito grande e é algo semelhante ao que aconteceu na vida real da cantora.

Além de entregar uma personagem bem humana, Lady Gaga traz uma bagagem enorme para mostrar a evolução de Ally até se tornar um fenômeno.

3- Bradley Cooper

Bradley Cooper é um nome bem famoso em Hollywood e já foi indicado 4 vezes ao Oscar, além de indicações em outras premiações. Mas é nesse filme que ele tem sua estreia como diretor e de uma forma brilhante!. Ele tem visão detalhista, cuidado estético e a maneira que conduz a narrativa realmente impressiona, parecendo até mesmo um veterano na área.
Cooper se mostrou um artista completo nesse filme porque, além de ator protagonista, ele canta, produz e dirige!

Seu personagem é um músico que sofre por ser alcoólatra e ele convence no papel, com naturalidade e sem exageros de atuação. Ahhh… um detalhe importante:  Bradley Cooper canta muito bem!
Há emoção em todas as músicas que ele canta com Lady Gaga e conseguimos sentir um grande poder e química entre os dois.

4- A Trilha Sonora

A trilha sonora é linda e viciante. Com certeza você vai sair do cinema querendo baixar todas as músicas no Spotify!

As músicas que ganham destaque são “Shallow” e “Maybe It’s Time”.
A última música do filme também vai te comover bastante, mas não vou colocar o nome por aqui pois quero que você sinta toda a emoção enquanto estiver assistindo a cena.

Curiosidade: Todas as performances musicais foram gravadas ao vivo! Essa foi uma exigência de Lady Gaga, que preferia cantar ao vivo em todas as músicas, porque ela mesma disse que odeia filmes em que os artistas estão dublando.
Ela também compôs grande parte das músicas junto com outros produtores e compositores , além do próprio Bradley Cooper que ajudou a escrever algumas letras.

5- Personagens coadjuvantes

Falamos bastante por aqui sobre os dois protagonistas, que estão em foco, mas os personagens coadjuvantes também estão impecáveis.
O grande destaque é o Bobby, interpretado por Sam Elliott, que é o irmão mais velho de Jackson. Ele tem algumas cenas pontuais no filme em que mostra uma grande atuação, principalmente no momento em que os irmãos tem um diálogo dentro do carro, antes de Bobby ir embora. É uma cena bem emocionante.

6- Possíveis indicações ao Oscar

O filme está sendo aclamado pelas críticas do mundo inteiro e muitos estão apostando em algumas indicações ao Oscar. As apostas vão para:

Bradley Cooper como Melhor Ator e Melhor Diretor;
Lady Gaga como Melhor atriz;
Além de Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção Original e quem sabe até como Melhor Filme.

Nasce Uma Estrela é um filme sensível e ao mesmo tempo arrebatador. Tenho certeza que você vai sair do cinema emocionado, impactado e com uma certa reflexão.

Vale muito a pena assistir! (De preferência em IMAX, porque a qualidade realmente é melhor e a sua emoção vai nas alturas quando as músicas começarem.)

Se você já assistiu, me conta o que achou do filme. E se ainda não assistiu, corre para assistir!
Beijos e até a próxima!

VENOM | CRÍTICA SEM SPOILERS #NOCINEMA

venom-5-750x380

Hoje, 04 de Outubro, chega aos cinemas o filme de um dos maiores vilões do Homem-Aranha: o Venom.

A história fala sobre Eddie Brock (Tom Hardy), um jornalista investigativo que tem um quadro próprio em uma emissora local. Um dia, ele é escalado para entrevistar Carlton Drake (Riz Ahmed), o criador da Fundação Vida, que tem investido bastante em missões espaciais de forma a encontrar possíveis usos medicinais para a humanidade. Após acessar um documento sigiloso enviado à sua namorada, a advogada Anne Weying (Michelle Williams), Brock descobre que Drake tem feito experimentos científicos em humanos. Ele resolve denunciar esta situação durante a entrevista, o que faz com que seja demitido. Seis meses depois, o ainda desempregado Brock é procurado pela dra. Dora Skirth (Jenny Slate) com uma denúncia: Drake estaria usando simbiontes alienígenas em testes com humanos, muitos deles mortos como cobaias. Eddie acaba entrando em contato com um simbionte, o Venom, e adquire habilidades super poderosas e perigosas.

Dirigido por Ruben Fleischer, a ideia era mostrar a origem e a ligação de Venom com Eddie Broke, deixando bem claro que o protagonista é um anti-herói nessa história. Não há qualquer ligação com o novo Homem-Aranha da MCU e a falta de conexão com esse Universo já é um dos motivos para o filme ficar estacionado na década passada.

O roteiro é confuso e acabou se perdendo por não poder usar todos os elementos necessários. Para quem não sabe, o filme diminuiu sua classificação de 18 para 13 anos e isso afetou no corte de cenas que estariam na versão oficial. Alguns furos nos deixam desacreditados na real história de Venom, já que estamos descobrindo a origem dele e as expectativas de ver um vilão imponente nas telonas era grande! Mas o desenvolvimento do personagem tomou um rumo diferente, com toques sentimentais e muito humor.

venom_and_unfortunate_dude

Tom Hardy se esforça para entregar um protagonista consistente mas sua atuação fica comprometida por uma história que se perde em vários momentos. Assim como Michelle Willians, que mostra ser uma personagem decidida, mas não está entre suas melhores atuações.
O vilão do filme (sim, temos um vilão), interpretado por Riz Ahmed, não convence e cai no no clichê com cenas previsíveis e monólogos exagerados.

Mas não se preocupe, pois “Venom” tem seus pontos positivos sim! A relação entre Eddie Brock e o simbionte consegue divertir em várias cenas, se tornando o ponto alto do filme. A interação entre os dois prende a atenção e o carisma cativa nesses momentos, fazendo com que o público se importe com o personagem. Além disso, vemos um visual interessante de Venom, com características mais detalhadas e uma versão mais parecida com o original. Nesse caso, os fãs agradecem.

Por fim, “Venom” não é um filme que vai ser lembrado por muitos anos, mas vai entreter um público que quer ir ao cinema com os amigos e se divertir sem preocupações com uma adaptação fiel aos quadrinhos. Vale lembrar que temos duas cenas pós créditos. Uma que mostra uma possível sequência do filme e outra que é um curta, mas não vou falar muito para não estragar a surpresa.

Já assistiu Venom nos cinemas? Comenta aqui embaixo o que achou!
Beijos e até a próxima!