BOHEMIAN RHAPSODY É BOM? | CRÍTICA

Bohemian Rhapsody chega aos cinemas para contar sobre a vida de Freddie Mercury e o seu enorme sucesso com a Banda Queen.  O filme mostra suas canções mais famosas e revolucionárias, a quase implosão quando o estilo de vida de Mercury sai do controle e o reencontro triunfal na véspera do Live Aid, onde Mercury, agora enfrentando uma doença fatal, comanda a banda em uma das maiores apresentações da história do rock. Durante esse processo, foi consolidado o legado da banda que sempre foi mais como uma família, e que continua a inspirar desajustados, sonhadores e amantes de música até os dias de hoje.

O longa (um dos mais aguardados do ano) traz uma mistura de sentimentos: paixão, alegria, tristeza e saudade. Muito se deve à atuação de Rami Malek, que interpreta de forma impecável o ícone Freddie Mercury, conseguindo convencer pela semelhança física e, principalmente, pela presença de palco com todos os trejeitos inesquecíveis do cantor. A performance do ator até parece um pouco caricata, mas estamos falando de Freddie Mercury e de toda a sua excentricidade, então pode-se dizer que houve a entrega de uma versão bem fiel do vocalista do Queen.

Será que teremos uma indicação ao Oscar de Melhor Ator?

Em suas 2 horas e 15 minutos, acompanhamos alguns fatos da vida do cantor como: O início da banda, bastidores de shows, o questionamento sobre sua sexualidade, o primeiro amor, outros relacionamentos, a vida com sua família e a descoberta da doença que o levou à morte. Porém, são temas abordados de forma superficial e o filme não consegue se aprofundar em cada um deles.

Apesar disso, o filme diverte ao mostrar a química que Freddie tinha com os integrantes da banda (que, por sinal, estão idênticos aos originais!) e o processo de criação de algumas de suas músicas mais famosas: Bohemian Rhapsody, Love Of My Life e We Will Rock You. O ponto alto da emoção fica por conta de sua apresentação no Live Aid, em que os fãs poderão reviver aquele momento como se estivessem assistindo o show ao vivo, com direito a incríveis movimentos de câmeras e uma plateia gigantesca interagindo com eles.

Além de momentos importantes da vida de Freddie Mercury, o filme Bohemian Rhapsody faz uma bela homenagem ao sucesso da banda Queen e vai contagiar os fãs ao relembrar toda a sua trajetória que marcou o mundo da música.

Não deixe de assistir no cinema e me conte aqui nos comentários o que achou!
Beijos e até a próxima.

 

 

A FREIRA – O QUE ESPERAR DO FILME? |CRÍTICA SEM SPOILERS #NOCINEMA

download-2

Com o sucesso do filme “Invocação do Mal”, a ansiedade era grande para a chegada de “A Freira” nos cinemas. Será que atende às expectativas?

Dirigido por Corin Hard e produzido por James Wan, a franquia retorna com o filme de um personagem super assustador: O demônio Valak, assumindo sua forma religiosa. A história começa com o suicídio de uma freira e seu corpo é encontrado por Frenchie, um morador da região. A partir disso, o Vaticano envia o Padre Burke e a Irmã Irene para investigar a causa da morte e possíveis eventos sobrenaturais no local.

A trama traz um cenário sombrio, com ar de terror clássico e elementos que tornam o filme macabro, como: Cemitério, igreja escura, alucinações e momentos de possessão. Um filme com muitos sustos, porém, previsíveis em sua maioria.

O desempenho dos atores é positivo e revela o carisma de cada um em cena. Taissa Farmiga, irmã mais nova de Vera Farmiga, consegue se manter à altura do papel principal junto com a experiência de Demián Bichir, um dos protagonistas da história. Outro ator que se destaca no filme é Jonas Bloquet, que interpreta Frenchie, um personagem importante na trama, mas que traz muitos alívios cômicos e acaba quebrando o clima de tensão em algumas cenas.
a-freira-trailer
A história começa a apresentar fraqueza quando as imagens aterrorizantes passam a tomar muito tempo de tela e nada é mais “tão assustador” como parecia. Além dos famosos clichês (imagens no espelho, por exemplo), muitas cenas de impacto já foram apresentadas em teasers e trailers divulgados anteriormente. Então, o espectador já tem uma ideia do que pode surgir em cada momento.

Vale ressaltar que, mesmo o filme não sendo o mais aterrorizante da franquia, ele consegue trazer um sentimento de angústia e despertar a curiosidade do público em saber mais sobre todo o poder de uma personagem tão importante em “Invocação do Mal 2”.

“A Freira” tem ligação com os outros filmes da franquia e por isso separei todos em ordem cronológica, com os anos em que as histórias se passam, para que você fique por dentro de tudo:

A Freira: 1952
Annabelle 2 – A Criação do Mal: 1958
Annabelle: 1970
Invocação do Mal: 1971
Invocação do Mal 2: 1978

Com a sua estreia marcada para o dia 06 de Setembro, “A Freira” cumpre seu papel de explicar algumas conexões desse universo e é um bom passatempo para quem curte levar alguns sustos na telona, mas está longe de ser o mais tenebroso da franquia.


 

Se já assistiu, me conta aqui nos comentários o que achou do filme!
Beijos e até a próxima!

Por Fernanda Cerqueira.

ASSISTI MEGATUBARÃO E… SERÁ QUE É BOM? | #NOCINEMA (SEM SPOILERS)

E aí, gente! Tudo bem? Assisti o filme Megatubarão no cinema e hoje trouxe uma crítica sem spoilers aqui no canal! Será que é bom?
Vem conferir! ♥


 

Jason Statham (“A Espiã que Sabia de Menos”, “Velozes & Furiosos 7”, dos filmes “Os Mercenários”) e a premiada atriz chinesa Li Bingbing (“Transformers: A Era da Extinção”, “O Reino Proibido”, “The Message”) estrelam o thriller de ação e ficção científica Megatubarão, dirigido por Jon Turteltaub (dos filmes “A Lenda do Tesouro Perdido”, “Última Viagem a Vegas”).

Um submarino de águas profundas – parte de um programa internacional de observação subaquática – foi atacado por uma criatura gigantesca, que se pensava estar extinta. Agora, ele se encontra incapacitado no fundo da fossa mais profunda do Oceano Pacífico… com a tripulação presa dentro dele. Com o tempo se esgotando, o mergulhador especializado em resgates em águas profundas Jonas Taylor (Jason Statham) é recrutado por um visionário oceanógrafo chinês (Winston Chao), contra a vontade de sua filha Suyin (Li Bingbing), para salvar a tripulação – e o próprio oceano – desta ameaça incontrolável: um tubarão pré-histórico com mais de 20 metros de comprimento conhecido como Megalodon. O que ninguém poderia imaginar é que, anos antes, Taylor já havia encontrado esta mesma criatura aterrorizante. Agora, junto com Suyin, ele deve confrontar seus medos e arriscar sua própria vida para salvar todos os tripulantes… ficando frente a frente com o maior e mais poderoso predador de todos os tempos.

Completam o elenco internacional de Megatubarão Rainn Wilson (da série de TV “The Office”, “Super”), Ruby Rose (“xXx: Reativado”, da série de TV “Orange is the New Black”), Winston Chao (“Fora do Rumo”, “Kabali”), Page Kennedy (da série de TV “Rush Hour”), Jessica McNamee (“Para Sempre”, da série de TV “Sirens”), Ólafur Darri Ólafsson (“O Bom Gigante Amigo”, da série de TV “The Missing”), Robert Taylor (“Golpe Duplo”, da série de TV “Longmire”), Sophia Shuya Cai (“Somewhere Only We Know”), Masi Oka (das séries de TV “Hawaii Five-0” e “Heroes”) e o neozelandês  Cliff Curtis (“Cavalo Negro”, “Ressurreição”, da série de TV “Fear the Walking Dead”).

Turteltaub dirigiu o filme a partir de um roteiro assinado por Dean Georgaris e Jon Hoeber & Erich Hoeber, baseado no livro best-seller de Steve Alten. Lorenzo di Bonaventura (dos filmes “Transformers”), Belle Avery (“Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto”) e Colin Wilson (“Esquadrão Suicida”, “Avatar”) produziram o filme, com produção executiva de Gerald R. Molen, Wei Jang, Randy Greenberg, e Barrie Osborne. Jie Chen, Ming Beaver, Kwei e Chunzi Wang serviram como produtores associados.

A equipe de Turteltaub nos bastidores incluiu o diretor de fotografia indicado ao Oscar Tom Stern (“A Troca”, “Sully – O Herói do Rio Hudson”, “Sniper Americano”, “Jogos Vorazes”), o desenhista de produção ganhador do Oscar Grant Major (“O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei”, “X-Men: Apocalipse”), os editores Steven Kemper (“Salt”, “Missão Impossível 2”, “A Outra Face”) e Kelly Matsumoto (“Velozes e Furiosos 6”), e a figurinista Amanda Neale (“Conspiração e Poder”, “Meu Amigo, O Dragão”, “O Que Fazemos nas Sombras”). A trilha foi composta por Harry Gregson-Williams (“Perdido em Marte”, filmes “O Protetor”, franquia “Shrek”).

Warner Bros. Pictures e Gravity Pictures apresentam uma produção di Bonaventura/Apelles Entertainment Inc./Maeday Productions, Inc./Flagship Entertainment Group Production, um filme de Jon Turteltaub, Megatubarão. Mergulhando nos cinemas ao redor do mundo a partir de 9 de agosto de 2018 em 2D, 3D  e em IMAX em cinemas selcionados. O filme será distribuído na China pela Gravity Pictures e no restante do mundo pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Entertainment.

Fonte de Notícias: Warner Bros e Espaço Z


Se você já assistiu, me conta aqui nos comentários o que achou!
Beijos e até a próxima!